Ano XIV
Pargos e pontes, que sei eu?




Editorial

Blogues

  • A casa improvável

  • À esquina da tecla

  • A Irmandade do Éter

  • A Porta Nobre

  • About Portugal

  • Abrupto

  • Agence eureka

  • Agenda do dia

  • Aguasdosul

  • Alberto Velho Nogueira - Homem à Janela

  • ALerNavios

  • Aliás

  • Almada Virtual Museum

  • Almanak Silva

  • Alvor-Silves

  • Apeadeiro das Virtudes

  • Aquela Música do Anúncio...

  • Aubade

  • Bic Laranja

  • Blog de Albergaria

  • Bonecos de bolso

  • Caderno de Viagem

  • Camafunga

  • Caminhos de Ferro Vale da Fumaça

  • Chiqsland Corporation

  • Coisa de gordo

  • Confessionário de um Padre

  • Da Rússia

  • Das palavras o espaço

  • De Rerum Natura

  • Debaixo dos arcos

  • Der Terrorist

  • Desenhos de Luís Ançã

  • Diário de Bordo

  • Dias que voam

  • Do Porto e não só...

  • Do Tempo da Outra Senhora

  • Dragoscópio

  • Fábulas

  • Fiel Inimigo

  • Física na Veia!

  • Forum ilha das Flores

  • Fragmagens

  • Gerotempo

  • Girassol Falante

  • Glosa Crua

  • Horas extraordinárias

  • Ié-ié

  • Impertinências

  • Incursões

  • Indústrias Culturais

  • Intimista

  • Irritado

  • João Freitas Farinha - Fotografia

  • Katia Maia

  • Kyrie Eleison

  • Linguagista

  • Lugares Esquecidos

  • Malomil

  • Margens de erro

  • Massa com cenas

  • Memórias…e outras coisas...

  • Nãocoisas à vista

  • Navegantes ao Mar

  • Nesta hora

  • Notas de Circunstância 2

  • Old Beef Traquinoy Company

  • Olhares Cruzados

  • Ouriquense

  • Paulinho Assunção

  • Ponteiros parados

  • Porto Sombrio

  • Praça da República

  • 4R - Quarta República

  • Restos de Colecção

  • Retalhos de Bem-Fica

  • Retratos de Portugal

  • Retrovisor

  • Ruas de Lisboa com alguma história

  • Ruin'Arte

  • Ruminaçœs Digitais

  • Sai-te daqui

  • Sorumbático

  • Stars & Mythical Creatures

  • Tapornumporco

  • Torrada e meia de leite

  • Travessa do Fala-Só

  • Umbigo do Sonho

  • Viajar e Descobrir

  • Ylang - Ylang


  • Arquivo morto

  • 10 Agosto 2003
  • 17 Agosto 2003
  • 24 Agosto 2003
  • 14 Setembro 2003
  • 21 Setembro 2003
  • 28 Setembro 2003
  • 12 Outubro 2003
  • 19 Outubro 2003
  • 26 Outubro 2003
  • 02 Novembro 2003
  • 09 Novembro 2003
  • 16 Novembro 2003
  • 23 Novembro 2003
  • 30 Novembro 2003
  • 07 Dezembro 2003
  • 14 Dezembro 2003
  • 21 Dezembro 2003
  • 28 Dezembro 2003
  • 04 Janeiro 2004
  • 11 Janeiro 2004
  • 18 Janeiro 2004
  • 25 Janeiro 2004
  • 01 Fevereiro 2004
  • 08 Fevereiro 2004
  • 15 Fevereiro 2004
  • 22 Fevereiro 2004
  • 29 Fevereiro 2004
  • 07 Março 2004
  • 14 Março 2004
  • 21 Março 2004
  • 28 Março 2004
  • 04 Abril 2004
  • 11 Abril 2004
  • 18 Abril 2004
  • 25 Abril 2004
  • 02 Maio 2004
  • 09 Maio 2004
  • 16 Maio 2004
  • 23 Maio 2004
  • 30 Maio 2004
  • 06 Junho 2004
  • 13 Junho 2004
  • 20 Junho 2004
  • 27 Junho 2004
  • 04 Julho 2004
  • 11 Julho 2004
  • 18 Julho 2004
  • 25 Julho 2004
  • 01 Agosto 2004
  • 08 Agosto 2004
  • 15 Agosto 2004
  • 22 Agosto 2004
  • 29 Agosto 2004
  • 05 Setembro 2004
  • 12 Setembro 2004
  • 19 Setembro 2004
  • 26 Setembro 2004
  • 03 Outubro 2004
  • 10 Outubro 2004
  • 17 Outubro 2004
  • 24 Outubro 2004
  • 31 Outubro 2004
  • 07 Novembro 2004
  • 14 Novembro 2004
  • 21 Novembro 2004
  • 28 Novembro 2004
  • 05 Dezembro 2004
  • 12 Dezembro 2004
  • 19 Dezembro 2004
  • 26 Dezembro 2004
  • 02 Janeiro 2005
  • 09 Janeiro 2005
  • 16 Janeiro 2005
  • 23 Janeiro 2005
  • 30 Janeiro 2005
  • 06 Fevereiro 2005
  • 13 Fevereiro 2005
  • 20 Fevereiro 2005
  • 27 Fevereiro 2005
  • 06 Março 2005
  • 13 Março 2005
  • 20 Março 2005
  • 27 Março 2005
  • 03 Abril 2005
  • 10 Abril 2005
  • 17 Abril 2005
  • 24 Abril 2005
  • 01 Maio 2005
  • 08 Maio 2005
  • 15 Maio 2005
  • 22 Maio 2005
  • 29 Maio 2005
  • 05 Junho 2005
  • 12 Junho 2005
  • 19 Junho 2005
  • 26 Junho 2005
  • 03 Julho 2005
  • 10 Julho 2005
  • 17 Julho 2005
  • 24 Julho 2005
  • 31 Julho 2005
  • 07 Agosto 2005
  • 14 Agosto 2005
  • 21 Agosto 2005
  • 28 Agosto 2005
  • 04 Setembro 2005
  • 11 Setembro 2005
  • 18 Setembro 2005
  • 25 Setembro 2005
  • 02 Outubro 2005
  • 09 Outubro 2005
  • 16 Outubro 2005
  • 23 Outubro 2005
  • 30 Outubro 2005
  • 06 Novembro 2005
  • 13 Novembro 2005
  • 20 Novembro 2005
  • 27 Novembro 2005
  • 04 Dezembro 2005
  • 11 Dezembro 2005
  • 18 Dezembro 2005
  • 25 Dezembro 2005
  • 01 Janeiro 2006
  • 08 Janeiro 2006
  • 15 Janeiro 2006
  • 22 Janeiro 2006
  • 29 Janeiro 2006
  • 05 Fevereiro 2006
  • 12 Fevereiro 2006
  • 19 Fevereiro 2006
  • 26 Fevereiro 2006
  • 05 Março 2006
  • 12 Março 2006
  • 19 Março 2006
  • 26 Março 2006
  • 02 Abril 2006
  • 09 Abril 2006
  • 16 Abril 2006
  • 23 Abril 2006
  • 30 Abril 2006
  • 07 Maio 2006
  • 14 Maio 2006
  • 21 Maio 2006
  • 28 Maio 2006
  • 04 Junho 2006
  • 11 Junho 2006
  • 18 Junho 2006
  • 25 Junho 2006
  • 02 Julho 2006
  • 09 Julho 2006
  • 16 Julho 2006
  • 23 Julho 2006
  • 30 Julho 2006
  • 06 Agosto 2006
  • 13 Agosto 2006
  • 20 Agosto 2006
  • 27 Agosto 2006
  • 03 Setembro 2006
  • 10 Setembro 2006
  • 17 Setembro 2006
  • 24 Setembro 2006
  • 01 Outubro 2006
  • 08 Outubro 2006
  • 15 Outubro 2006
  • 22 Outubro 2006
  • 29 Outubro 2006
  • 05 Novembro 2006
  • 12 Novembro 2006
  • 19 Novembro 2006
  • 26 Novembro 2006
  • 17 Dezembro 2006
  • 24 Dezembro 2006
  • 31 Dezembro 2006
  • 07 Janeiro 2007
  • 14 Janeiro 2007
  • 21 Janeiro 2007
  • 28 Janeiro 2007
  • 04 Fevereiro 2007
  • 11 Fevereiro 2007
  • 18 Fevereiro 2007
  • 25 Fevereiro 2007
  • 04 Março 2007
  • 11 Março 2007
  • 18 Março 2007
  • 25 Março 2007
  • 01 Abril 2007
  • 08 Abril 2007
  • 15 Abril 2007
  • 22 Abril 2007
  • 29 Abril 2007
  • 06 Maio 2007
  • 13 Maio 2007
  • 20 Maio 2007
  • 27 Maio 2007
  • 03 Junho 2007
  • 10 Junho 2007
  • 17 Junho 2007
  • 24 Junho 2007
  • 01 Julho 2007
  • 08 Julho 2007
  • 15 Julho 2007
  • 22 Julho 2007
  • 29 Julho 2007
  • 05 Agosto 2007
  • 12 Agosto 2007
  • 19 Agosto 2007
  • 26 Agosto 2007
  • 02 Setembro 2007
  • 09 Setembro 2007
  • 16 Setembro 2007
  • 23 Setembro 2007
  • 30 Setembro 2007
  • 07 Outubro 2007
  • 14 Outubro 2007
  • 21 Outubro 2007
  • 28 Outubro 2007
  • 04 Novembro 2007
  • 11 Novembro 2007
  • 18 Novembro 2007
  • 25 Novembro 2007
  • 02 Dezembro 2007
  • 09 Dezembro 2007
  • 16 Dezembro 2007
  • 23 Dezembro 2007
  • 30 Dezembro 2007
  • 06 Janeiro 2008
  • 13 Janeiro 2008
  • 20 Janeiro 2008
  • 27 Janeiro 2008
  • 03 Fevereiro 2008
  • 10 Fevereiro 2008
  • 17 Fevereiro 2008
  • 24 Fevereiro 2008
  • 02 Março 2008
  • 09 Março 2008
  • 16 Março 2008
  • 23 Março 2008
  • 30 Março 2008
  • 06 Abril 2008
  • 13 Abril 2008
  • 20 Abril 2008
  • 27 Abril 2008
  • 04 Maio 2008
  • 11 Maio 2008
  • 18 Maio 2008
  • 25 Maio 2008
  • 01 Junho 2008
  • 08 Junho 2008
  • 15 Junho 2008
  • 22 Junho 2008
  • 29 Junho 2008
  • 06 Julho 2008
  • 13 Julho 2008
  • 20 Julho 2008
  • 27 Julho 2008
  • 03 Agosto 2008
  • 10 Agosto 2008
  • 17 Agosto 2008
  • 24 Agosto 2008
  • 31 Agosto 2008
  • 07 Setembro 2008
  • 14 Setembro 2008
  • 21 Setembro 2008
  • 28 Setembro 2008
  • 05 Outubro 2008
  • 12 Outubro 2008
  • 19 Outubro 2008
  • 26 Outubro 2008
  • 02 Novembro 2008
  • 09 Novembro 2008
  • 16 Novembro 2008
  • 23 Novembro 2008
  • 30 Novembro 2008
  • 07 Dezembro 2008
  • 14 Dezembro 2008
  • 21 Dezembro 2008
  • 28 Dezembro 2008
  • 04 Janeiro 2009
  • 11 Janeiro 2009
  • 18 Janeiro 2009
  • 25 Janeiro 2009
  • 01 Fevereiro 2009
  • 08 Fevereiro 2009
  • 15 Fevereiro 2009
  • 22 Fevereiro 2009
  • 01 Março 2009
  • 08 Março 2009
  • 15 Março 2009
  • 22 Março 2009
  • 29 Março 2009
  • 05 Abril 2009
  • 12 Abril 2009
  • 19 Abril 2009
  • 26 Abril 2009
  • 03 Maio 2009
  • 10 Maio 2009
  • 17 Maio 2009
  • 24 Maio 2009
  • 31 Maio 2009
  • 07 Junho 2009
  • 14 Junho 2009
  • 21 Junho 2009
  • 28 Junho 2009
  • 05 Julho 2009
  • 12 Julho 2009
  • 19 Julho 2009
  • 26 Julho 2009
  • 02 Agosto 2009
  • 09 Agosto 2009
  • 16 Agosto 2009
  • 23 Agosto 2009
  • 30 Agosto 2009
  • 06 Setembro 2009
  • 13 Setembro 2009
  • 20 Setembro 2009
  • 27 Setembro 2009
  • 04 Outubro 2009
  • 11 Outubro 2009
  • 18 Outubro 2009
  • 25 Outubro 2009
  • 01 Novembro 2009
  • 08 Novembro 2009
  • 15 Novembro 2009
  • 22 Novembro 2009
  • 29 Novembro 2009
  • 06 Dezembro 2009
  • 13 Dezembro 2009
  • 20 Dezembro 2009
  • 27 Dezembro 2009
  • 03 Janeiro 2010
  • 10 Janeiro 2010
  • 17 Janeiro 2010
  • 31 Janeiro 2010
  • 07 Fevereiro 2010
  • 14 Fevereiro 2010
  • 21 Fevereiro 2010
  • 28 Fevereiro 2010
  • 07 Março 2010
  • 14 Março 2010
  • 21 Março 2010
  • 28 Março 2010
  • 04 Abril 2010
  • 11 Abril 2010
  • 18 Abril 2010
  • 25 Abril 2010
  • 02 Maio 2010
  • 09 Maio 2010
  • 16 Maio 2010
  • 23 Maio 2010
  • 30 Maio 2010
  • 06 Junho 2010
  • 13 Junho 2010
  • 20 Junho 2010
  • 27 Junho 2010
  • 04 Julho 2010
  • 11 Julho 2010
  • 18 Julho 2010
  • 25 Julho 2010
  • 01 Agosto 2010
  • 08 Agosto 2010
  • 15 Agosto 2010
  • 22 Agosto 2010
  • 29 Agosto 2010
  • 05 Setembro 2010
  • 12 Setembro 2010
  • 19 Setembro 2010
  • 26 Setembro 2010
  • 03 Outubro 2010
  • 10 Outubro 2010
  • 17 Outubro 2010
  • 24 Outubro 2010
  • 31 Outubro 2010
  • 07 Novembro 2010
  • 14 Novembro 2010
  • 21 Novembro 2010
  • 28 Novembro 2010
  • 05 Dezembro 2010
  • 12 Dezembro 2010
  • 19 Dezembro 2010
  • 26 Dezembro 2010
  • 02 Janeiro 2011
  • 09 Janeiro 2011
  • 16 Janeiro 2011
  • 23 Janeiro 2011
  • 30 Janeiro 2011
  • 06 Fevereiro 2011
  • 13 Fevereiro 2011
  • 20 Fevereiro 2011
  • 27 Fevereiro 2011
  • 06 Março 2011
  • 13 Março 2011
  • 20 Março 2011
  • 27 Março 2011
  • 03 Abril 2011
  • 10 Abril 2011
  • 17 Abril 2011
  • 24 Abril 2011
  • 01 Maio 2011
  • 08 Maio 2011
  • 15 Maio 2011
  • 22 Maio 2011
  • 29 Maio 2011
  • 05 Junho 2011
  • 12 Junho 2011
  • 19 Junho 2011
  • 26 Junho 2011
  • 03 Julho 2011
  • 10 Julho 2011
  • 17 Julho 2011
  • 24 Julho 2011
  • 31 Julho 2011
  • 07 Agosto 2011
  • 14 Agosto 2011
  • 21 Agosto 2011
  • 28 Agosto 2011
  • 04 Setembro 2011
  • 11 Setembro 2011
  • 18 Setembro 2011
  • 25 Setembro 2011
  • 02 Outubro 2011
  • 09 Outubro 2011
  • 16 Outubro 2011
  • 23 Outubro 2011
  • 30 Outubro 2011
  • 06 Novembro 2011
  • 13 Novembro 2011
  • 20 Novembro 2011
  • 27 Novembro 2011
  • 04 Dezembro 2011
  • 11 Dezembro 2011
  • 18 Dezembro 2011
  • 25 Dezembro 2011
  • 01 Janeiro 2012
  • 08 Janeiro 2012
  • 15 Janeiro 2012
  • 22 Janeiro 2012
  • 29 Janeiro 2012
  • 05 Fevereiro 2012
  • 12 Fevereiro 2012
  • 19 Fevereiro 2012
  • 26 Fevereiro 2012
  • 04 Março 2012
  • 11 Março 2012
  • 18 Março 2012
  • 25 Março 2012
  • 01 Abril 2012
  • 08 Abril 2012
  • 15 Abril 2012
  • 22 Abril 2012
  • 29 Abril 2012
  • 06 Maio 2012
  • 13 Maio 2012
  • 20 Maio 2012
  • 27 Maio 2012
  • 03 Junho 2012
  • 10 Junho 2012
  • 17 Junho 2012
  • 24 Junho 2012
  • 01 Julho 2012
  • 08 Julho 2012
  • 15 Julho 2012
  • 22 Julho 2012
  • 29 Julho 2012
  • 05 Agosto 2012
  • 12 Agosto 2012
  • 19 Agosto 2012
  • 26 Agosto 2012
  • 02 Setembro 2012
  • 09 Setembro 2012
  • 16 Setembro 2012
  • 23 Setembro 2012
  • 30 Setembro 2012
  • 07 Outubro 2012
  • 14 Outubro 2012
  • 21 Outubro 2012
  • 28 Outubro 2012
  • 04 Novembro 2012
  • 11 Novembro 2012
  • 18 Novembro 2012
  • 25 Novembro 2012
  • 02 Dezembro 2012
  • 09 Dezembro 2012
  • 16 Dezembro 2012
  • 23 Dezembro 2012
  • 30 Dezembro 2012
  • 06 Janeiro 2013
  • 13 Janeiro 2013
  • 20 Janeiro 2013
  • 27 Janeiro 2013
  • 03 Fevereiro 2013
  • 10 Fevereiro 2013
  • 17 Fevereiro 2013
  • 24 Fevereiro 2013
  • 03 Março 2013
  • 10 Março 2013
  • 17 Março 2013
  • 24 Março 2013
  • 31 Março 2013
  • 07 Abril 2013
  • 14 Abril 2013
  • 21 Abril 2013
  • 28 Abril 2013
  • 05 Maio 2013
  • 12 Maio 2013
  • 19 Maio 2013
  • 26 Maio 2013
  • 02 Junho 2013
  • 09 Junho 2013
  • 16 Junho 2013
  • 23 Junho 2013
  • 30 Junho 2013
  • 07 Julho 2013
  • 14 Julho 2013
  • 21 Julho 2013
  • 28 Julho 2013
  • 04 Agosto 2013
  • 11 Agosto 2013
  • 18 Agosto 2013
  • 25 Agosto 2013
  • 01 Setembro 2013
  • 08 Setembro 2013
  • 15 Setembro 2013
  • 22 Setembro 2013
  • 29 Setembro 2013
  • 06 Outubro 2013
  • 13 Outubro 2013
  • 20 Outubro 2013
  • 27 Outubro 2013
  • 03 Novembro 2013
  • 10 Novembro 2013
  • 17 Novembro 2013
  • 24 Novembro 2013
  • 01 Dezembro 2013
  • 08 Dezembro 2013
  • 15 Dezembro 2013
  • 22 Dezembro 2013
  • 29 Dezembro 2013
  • 05 Janeiro 2014
  • 12 Janeiro 2014
  • 19 Janeiro 2014
  • 26 Janeiro 2014
  • 02 Fevereiro 2014
  • 09 Fevereiro 2014
  • 16 Fevereiro 2014
  • 23 Fevereiro 2014
  • 02 Março 2014
  • 09 Março 2014
  • 16 Março 2014
  • 23 Março 2014
  • 30 Março 2014
  • 06 Abril 2014
  • 13 Abril 2014
  • 20 Abril 2014
  • 27 Abril 2014
  • 04 Maio 2014
  • 11 Maio 2014
  • 18 Maio 2014
  • 25 Maio 2014
  • 01 Junho 2014
  • 08 Junho 2014
  • 15 Junho 2014
  • 22 Junho 2014
  • 29 Junho 2014
  • 06 Julho 2014
  • 13 Julho 2014
  • 20 Julho 2014
  • 27 Julho 2014
  • 03 Agosto 2014
  • 10 Agosto 2014
  • 17 Agosto 2014
  • 24 Agosto 2014
  • 31 Agosto 2014
  • 07 Setembro 2014
  • 14 Setembro 2014
  • 21 Setembro 2014
  • 28 Setembro 2014
  • 05 Outubro 2014
  • 12 Outubro 2014
  • 19 Outubro 2014
  • 26 Outubro 2014
  • 02 Novembro 2014
  • 09 Novembro 2014
  • 16 Novembro 2014
  • 23 Novembro 2014
  • 30 Novembro 2014
  • 07 Dezembro 2014
  • 14 Dezembro 2014
  • 21 Dezembro 2014
  • 28 Dezembro 2014
  • 04 Janeiro 2015
  • 11 Janeiro 2015
  • 18 Janeiro 2015
  • 25 Janeiro 2015
  • 01 Fevereiro 2015
  • 08 Fevereiro 2015
  • 15 Fevereiro 2015
  • 22 Fevereiro 2015
  • 01 Março 2015
  • 08 Março 2015
  • 15 Março 2015
  • 22 Março 2015
  • 29 Março 2015
  • 05 Abril 2015
  • 12 Abril 2015
  • 19 Abril 2015
  • 26 Abril 2015
  • 03 Maio 2015
  • 10 Maio 2015
  • 17 Maio 2015
  • 24 Maio 2015
  • 31 Maio 2015
  • 07 Junho 2015
  • 14 Junho 2015
  • 21 Junho 2015
  • 28 Junho 2015
  • 05 Julho 2015
  • 12 Julho 2015
  • 19 Julho 2015
  • 26 Julho 2015
  • 02 Agosto 2015
  • 09 Agosto 2015
  • 16 Agosto 2015
  • 23 Agosto 2015
  • 30 Agosto 2015
  • 06 Setembro 2015
  • 13 Setembro 2015
  • 20 Setembro 2015
  • 27 Setembro 2015
  • 04 Outubro 2015
  • 11 Outubro 2015
  • 18 Outubro 2015
  • 25 Outubro 2015
  • 01 Novembro 2015
  • 08 Novembro 2015
  • 15 Novembro 2015
  • 22 Novembro 2015
  • 29 Novembro 2015
  • 06 Dezembro 2015
  • 13 Dezembro 2015
  • 20 Dezembro 2015
  • 27 Dezembro 2015
  • 03 Janeiro 2016
  • 10 Janeiro 2016
  • 17 Janeiro 2016
  • 31 Janeiro 2016
  • 07 Fevereiro 2016
  • 14 Fevereiro 2016
  • 21 Fevereiro 2016
  • 28 Fevereiro 2016
  • 06 Março 2016
  • 13 Março 2016
  • 20 Março 2016
  • 27 Março 2016
  • 03 Abril 2016
  • 10 Abril 2016
  • 17 Abril 2016
  • 24 Abril 2016
  • 01 Maio 2016
  • 08 Maio 2016
  • 15 Maio 2016
  • 22 Maio 2016
  • 29 Maio 2016
  • 05 Junho 2016
  • 12 Junho 2016
  • 19 Junho 2016
  • 26 Junho 2016
  • 03 Julho 2016
  • 10 Julho 2016
  • 17 Julho 2016
  • 24 Julho 2016
  • 31 Julho 2016
  • 07 Agosto 2016
  • 14 Agosto 2016
  • 21 Agosto 2016
  • 28 Agosto 2016
  • 04 Setembro 2016
  • 11 Setembro 2016
  • 18 Setembro 2016
  • 25 Setembro 2016
  • 02 Outubro 2016
  • 09 Outubro 2016
  • 16 Outubro 2016
  • 23 Outubro 2016
  • 30 Outubro 2016
  • 06 Novembro 2016
  • 13 Novembro 2016
  • 20 Novembro 2016
  • 27 Novembro 2016
  • 04 Dezembro 2016
  • 11 Dezembro 2016
  • 18 Dezembro 2016
  • 25 Dezembro 2016
  • 01 Janeiro 2017
  • 08 Janeiro 2017
  • 15 Janeiro 2017
  • 22 Janeiro 2017
  • 29 Janeiro 2017
  • 05 Fevereiro 2017
  • 12 Fevereiro 2017
  • 19 Fevereiro 2017
  • 26 Fevereiro 2017
  • 05 Março 2017
  • 12 Março 2017
  • 19 Março 2017
  • 26 Março 2017
  • 02 Abril 2017
  • 09 Abril 2017
  • 16 Abril 2017
  • 23 Abril 2017
  • 30 Abril 2017
  • 07 Maio 2017
  • 14 Maio 2017
  • 21 Maio 2017
  • 28 Maio 2017
  • 04 Junho 2017
  • 11 Junho 2017
  • 18 Junho 2017

  • A natureza e o homem



    Parece pouco provável que alguma vez tenham saído do planeta Terra objectos que não tenham sido criação humana.
    Quem estivesse a observar de longe a pequena esfera, envelheceria* até ver sair dela uns mísseis fumegantes.
    A ser verdade a primeira afirmação, a mais exuberante manifestação de vida (seja lá o que isso fôr) para o exterior foi obra de uma só espécie.
    O que merece alguma reflexão. Não vou repetir o que já disse sobre a natureza humana. Mas a verdade é que o homem se auto-intitula espécie dominante pelo simples facto de a sua percepção lhe proporcionar o espectáculo da sua própria criação. Vê o planeta transformado pela sua mão e conclui.
    Mesmo que não contabilize dentro de si os micro-organismos (in) ou dependentes que lhe proporcionam a vida. E tudo o resto.
    O homem é apenas uma pequeníssima parte da vida. Tal como a vida é uma pequena parte da natureza.
    Mas o homem pretende lutar contra a natureza como se não fosse parte dela.
    Pretende perpetuar-se sem cuidar de verificar que um sem-número de espécies soçobrou.
    Admite até extinguir outras espécies, directa ou indirectamente, considerando-se a salvo.
    Talvez este instinto seja comum a todos os outros seres vivos. Talvez até alguns deles tenham essa consciência.
    Mas é quase o mesmo do que a mente a lutar contra o corpo. Como se não fizesse parte dele.

    * É uma mera figura de estilo. Mas há uma escala adequada em que alguém, humano ou não, vendo ou captando os sinais de outra forma, dotado de vida perecível, com crescimento, apogeu e decadência, veria os tais mísseis na velhice.

    imagem em



    O que é que se passa?

    É da minha vista ou a rede está absolutamente congestionada?



    O local do crime



    Vitrúvio fez bem em colocar Arquimedes na celha.
    Para além de enquadrar a argumentação, deu a nota de que o crime não escolhe local nem data certa.
    É justamente esse facto que às vezes me atormenta.
    Porque raio é que uma ideia há-de surgir no banho, à mesa do almoço, no regresso da praia, debaixo de um chaparro?
    É certo que hoje dispomos de uma parafernália de objectos auxiliares (pequenos gravadores, agendas electrónicas, telefones com gravador, etc.) mas nunca estão à mão quando são precisos.
    A ideia parva tem sempre que aparecer em altura imprópria. Na mais imprópria. E às vezes esquece.
    O pior é quando não esquece de todo. E ficam aquelas pontas da meada a atormentar-nos.
    Deve ser por isso que estou a escrever estas linhas.

    imagem em



    A arrumação da casa

    Depois de quase seis meses e instado para o fazer, tive que arrumar a casa.
    O espaço ocupado pelos ficheiros de imagem que tinha alojados na Globo era assustador.
    Assim, mantendo-se as imagens, reduziram-se a definição e o tamanho.
    Em alguns casos, imagens de arquivo lá para trás já não têm a legibilidade necessária para a boa compreensão dos posts. Penso que não é grave.
    Doravante, manter-se-á o cuidado em não colocar imagens demasiado definidas ou grandes.
    Mas não há-de ser por isso...



    A menina dos cabelos louros

    Eu tinha visto o cão. Lá bem ao longe.
    Perto da entrada de área de serviço.
    Mais um que vai morrer na auto-estrada. Talvez causar um acidente.
    Deixei-me ir, a ver se o bicho retomava o caminho das bombas de gasolina, de onde devia ter escapado aos donos.
    Mas não, voltou para o meio da via.
    Talvez parar nas bombas e avisar o pessoal da manutenção. Chegam tarde demais. Apanhar o cão é bem capaz de ser mais perigoso do que deixá-lo ir.
    A rapariga dos cabelos louros que seguia à minha frente fez pior do que isso.
    Só deve ter visto o cão quando estava quase em cima dele, senão não teria travado com o carro a escorregar para a esquerda.
    Depois, saiu a correr do carro, parado no meio das duas faixas, e deixou a porta aberta.
    Mas ainda dava para passar, junto ao separador.
    Porreiro, pensei, se o cão não correr para a parte de trás do carro, ela assim quase bloqueia a estrada e evita o atropelamento pelo menos nesta faixa.
    Já não parei na área de serviço. O pior já estava feito. Espero que não tenha acontecido nada à rapariga e ao cão, nem a outros que viessem mais para trás.
    Quantas atitudes bem intencionadas não estarão a matar gente e cães, por aí, na estrada?



    Back in business

    Era da pilha



    A quantas ando?



    Cabeça dura. Não tenho grande ideia de alguma vez ter pedido conselhos a alguém.
    Exceptuando as visitas ao médico e ao jurista. Mais ao segundo que ao primeiro, que os médicos não dão conselhos, receitam.
    Mas o facto é que, às vezes sem pedirmos, eles vêm.
    E vez por outra, por que não segui-los?
    Certa vez, a minha companheira disse-me algo intrigante:
    "Se andas tão nervoso, porque é que não deixas de usar relógio?"
    Fiquei a olhar para ela, com um olho no burro outro no cigano.
    "E como é que chego a horas aos sítios?"
    "Ah, chegas! Não te preocupes com isso. Relógios é o que não faltam por aí! E podes sempre perguntar as horas. Vais ver que te habituas depressa e perdes parte densa tensão."
    "Tirando o relógio? Só isso?"
    "Há quanto tempo não me vês de relógio?"
    "Sei lá. Há muitos anos."
    Experimentei.
    E a coisa resultou. Seja por autoconvencimento ou por outro factor qualquer, resultou.
    Resultou tão bem que estive aí uns treze anos sem o adereço no pulso.
    Poucos dias antes do último natal do milénio (nas contas oficiais), um indivíduo que eu nunca vira entregou-me uma caixa: "Isto é para si!"
    A oferta não tinha nada de mais. Tratava-se de um brinde comercial.
    A caixa parecia um daqueles sarcófagos com janela para o rosto do morto. Outros diriam que era uma caixa de seringas à antiga, mas com óculo.
    E não é que me apaixonei de imediato pela porra do relógio. Era parecido com muitos outros com que eu sonhara em miúdo.
    Coloquei-o no banco do carro e andei.
    Ao fim de uns quilómetros parei o carro e pimba, o morto saía do ataúde para a pulsação dos dias.
    Até hoje.
    Acordei quatro horas depois do calculado.
    O infalível monstrinho que nunca se atrasava nem adiantava deixou de pulsar. Não é que seja despertador. Mas o golpe de vista para o mostrador dera-me a segurança de mais quatro horas de sono.
    Será da pilha?
    Se não fôr, volta ao sarcófago. Alinhará à esquerda dos outros objectos mortos que povoam os já cantados quatro cantos do meu reino



    A barrilada



    Não era uma barrica, mas também não era um barril, era um bidom de 200 litros.
    Escuro, muito escuro.
    À noite, no meio da estrada, à saída de uma curva, era um perigo para os carros.
    Não adiantava muito tentar demover o grupo de utilizar aquele meio absurdo e perigoso para parar os automóveis.
    Continuavam a delinear as perguntas que fariam aos passantes e a atitude a tomar em caso de resistência.
    Viam-se as caçadeiras e os cartuchos à cintura.
    Não se entendiam muito bem quanto a quem comandava as tropas.
    Mas nada de passarem carros. Nem um.
    Quanto mais tempo passava, maior era a discussão sobre os métodos a adoptar.
    Até que um resolveu pegar na bicicleta a motor e comunicar: "Já venho!"
    Voltou depois carregando uma grade de cervejas que a noite podia ser longa e o ar estava quente e seco.
    Quando finalmente apareceu o primeiro carro, ouviu-se um chiar de pneus, viram-se um faróis a ziguezaguear e o carro deteve-se junto ao grupo.
    O condutor, indignado, mas com alguma contenção, apreciando o grupo e as suas armas de caça, perguntou: "Mas afinal o que é isto? Quem é que manda aqui? E o que é que se passa?"
    O grupo entreolhou-se e uma certa tensão sobreveio na expectativa de que alguém assumisse a responsabilidade.
    O homem mais velho avançou:
    "A gente não descobre o que é que se passa!"
    E os outros concordaram:
    "A gente não descobre o que é que se passa!"



    Pesquisando

    De volta aos motores de busca.
    Descobri este post de Ana Cordeiro em "Pequenas Histórias".
    Um sítio com boas pequenas histórias e com este ensinamento.
    Talvez os pára-quedistas deixem de cair aqui.



    Gasolim romântico





    Expertise

    Já se pode dizer quais são os pontos fortes deste blogue, segundo os motores de busca.
    A crer nesta amostra de palavras mais utilizadas nas pesquisas afluentes:

    Eu pensei em certa altura que a procura por salsaparrilha se devia a algum trabalho escolar aí para o Brasil.
    Mas agora julgo que não. Deve ser qualquer coisa que está a passar na televisão.
    Continuam a julgar-me um maluquinho das apostas (totobola, totoloto, desdobramentos).
    O grande mistério são as fotos e o nu.



    Horários diferentes



    Não me queixo. Na idade da reserva, olho para trás e não me queixo.
    O quinhão que me calhou não foi mau.
    O que não quer dizer que depois de ver o Papa, esteja preparado para o pior.
    Em primeiro lugar, não sou católico.
    Depois, foi o Papa que veio aqui à minha terra, não fui eu que fui a Roma.
    Signifique isto o que significar.
    Há coisas que gostava de voltar a experimentar.
    Os licores espanhóis em ruas de casas tortas.
    O teu rosto na minha memória sob a bandeira das quinas.
    O cheiro dos comboios de alumínio.
    A manhã campestre de um urbano, acabado de sair da cidade.
    E a contra-manhã urbana de um rústico, chegado à urbe com traços de cal na samarra.
    A chuva fustigante no meu tweed, impróprio para a noite.
    Atravessar os Países Baixos, sob denso nevoeiro.
    Nada que se não possa repetir.
    Mas e as coisas impossíveis?
    Esconder-me atrás do guarda-vento com vidros coloridos?
    Subir à oliveira multicentenária?
    Dar de trombas com a minha cadela em manhãs de inverno? E deixá-la morder-me ternamente o nariz?
    Percorrer a pista de obstáculos?
    Montar a escola de galinhas?
    Impossíveis.
    Às vezes ainda me acho capaz de grandes cometimentos.
    Quantas mais coisas para a história conseguirei alcançar?



    A solução definitiva

    Uma das mais surpreendentes características da natureza humana é o alheamento face à sua própria realidade.
    É claro que isto é assunto para muitos compêndios, abordado aqui já por algumas vezes ao de leve, como compete ao local e ao autor.
    O autoconvencimento é uma arma qualquer de que a vida dispõe para combater o desalento, suponho eu.
    E talvez por isso inúmeras vezes se ouça falar de soluções definitivas.
    Os cemitérios da história estão tão cheios de soluções definitivas, quanto os dos homens, de homens essenciais.



    Gasolim e as torres





    Telhas, gatos e a rã... que é peixe



    Há muitos anos, no excelente programa de rádio "Lugar ao Sul", de Rafael Correia (Antena 1, sábados, 9:00 - 11:00) travou-se um curioso diálogo entre o realizador e um homem que caçava rãs em algum lugar do meridião.
    Perguntava o primeiro se rã seria peixe ou carne.
    O segundo respondia, depois de uma pausa em que parecia meditar, que era peixe.
    Rafael Correia iniciou então um delicioso jogo de palavras com o seu interlocutor, por certo adivinhando já o excelente momento de rádio que se seguiu.
    Ao fim de um longa conversa sobre peixes e anuros, quando o programa caminhava para o fim, entre a música misturada e já sobreposta aos sons ambiente, distinguia-se vagamente a voz do pescador-caçador: "Rã é peixe! Então rã não é peixe?"

    Anos depois, eu, o R.C. (não, não é o grande homem da rádio) e outra figura eminente do meio conferenciávamos em torno de um prato de carapaus bigodudos.
    Disto e daquilo passou-se à análise da famosa sub-telha e da redundante protecção que concede aos esconsos.
    Caí na asneira de dizer que se fosse o caso de um gato deslocar uma telha, em telhados acessíveis pelo desvão e cujo estado é mais facilmente observável pelo interior do que pelo exterior, o que aconteceria é que niniguém daria por isso e a água apareceria, mais tarde ou mais cedo, em local diferente de onde se estava a infiltrar.
    A minha conclusão não mereceu reparo da figura eminente que connosco partilhava o lanche.
    Com o que não concordou foi com o ponto de partida. Então era lá possível uma telha mover-se?
    Seguiu-se acesa polémica em que figuraram os já mencionados gatos, as mais diversas aves, o próprio Eolo (de que a figura não conhecia a graça) e o mais que lembrou.
    E desfez-se em seguida, esmagada pelo argumento implacável de uma sapateira recheada (a tal santola que eu e o R.C. apostámos há anos, não há meio de lhe encontrarmos o paradeiro).
    Ora bem, da patuda passou-se aos cafés e à conversa sobre outros assuntos.
    Quando a coisa começou a ficar demasiado complicada para os conhecimentos da figura, esta guardou silêncio, acompanhando-nos apenas com o olhar.
    Mas a tentação de intervir era muita. Notava-se nos trejeitos e nos rictos faciais.
    É quando num momento de maior entusiasmo na nossa discussão, nos damos conta de que a figura balbuciava: "Mas as telhas não se conseguem arredar... não se conseguem..."
    Eu parei de argumentar e disse bruscamente para o R.C.: "Rã é peixe!"
    Ainda hoje a figura não percebeu porque é que o R.C. saiu disparado para a casa de banho, de mão na boca, ao ouvir a minha ordem.

    imagem em