Ano XIV
Pargos e pontes, que sei eu?




Editorial

Blogues

  • A casa improvável

  • À esquina da tecla

  • A Irmandade do Éter

  • A Porta Nobre

  • About Portugal

  • Abrupto

  • Agence eureka

  • Agenda do dia

  • Aguasdosul

  • Alberto Velho Nogueira - Homem à Janela

  • ALerNavios

  • Aliás

  • Almada Virtual Museum

  • Almanak Silva

  • Alvor-Silves

  • Apeadeiro das Virtudes

  • Aquela Música do Anúncio...

  • Aubade

  • Bic Laranja

  • Blog de Albergaria

  • Bonecos de bolso

  • Caderno de Viagem

  • Camafunga

  • Caminhos de Ferro Vale da Fumaça

  • Chiqsland Corporation

  • Coisa de gordo

  • Confessionário de um Padre

  • Da Rússia

  • Das palavras o espaço

  • De Rerum Natura

  • Debaixo dos arcos

  • Der Terrorist

  • Desenhos de Luís Ançã

  • Diário de Bordo

  • Dias que voam

  • Do Porto e não só...

  • Do Tempo da Outra Senhora

  • Dragoscópio

  • Fábulas

  • Fiel Inimigo

  • Física na Veia!

  • Forum ilha das Flores

  • Fragmagens

  • Gerotempo

  • Girassol Falante

  • Glosa Crua

  • Horas extraordinárias

  • Ié-ié

  • Impertinências

  • Incursões

  • Indústrias Culturais

  • Intimista

  • Irritado

  • João Freitas Farinha - Fotografia

  • Katia Maia

  • Kyrie Eleison

  • Linguagista

  • Lugares Esquecidos

  • Malomil

  • Margens de erro

  • Massa com cenas

  • Memórias…e outras coisas...

  • Nãocoisas à vista

  • Navegantes ao Mar

  • Nesta hora

  • Notas de Circunstância 2

  • Old Beef Traquinoy Company

  • Olhares Cruzados

  • Ouriquense

  • Paulinho Assunção

  • Ponteiros parados

  • Porto Sombrio

  • Praça da República

  • 4R - Quarta República

  • Restos de Colecção

  • Retalhos de Bem-Fica

  • Retratos de Portugal

  • Retrovisor

  • Ruas de Lisboa com alguma história

  • Ruin'Arte

  • Ruminaçœs Digitais

  • Sai-te daqui

  • Sorumbático

  • Stars & Mythical Creatures

  • Tapornumporco

  • Torrada e meia de leite

  • Travessa do Fala-Só

  • Umbigo do Sonho

  • Viajar e Descobrir

  • Viajar. Porque sim.

  • Ylang - Ylang


  • Arquivo morto

  • 10 Agosto 2003
  • 17 Agosto 2003
  • 24 Agosto 2003
  • 14 Setembro 2003
  • 21 Setembro 2003
  • 28 Setembro 2003
  • 12 Outubro 2003
  • 19 Outubro 2003
  • 26 Outubro 2003
  • 02 Novembro 2003
  • 09 Novembro 2003
  • 16 Novembro 2003
  • 23 Novembro 2003
  • 30 Novembro 2003
  • 07 Dezembro 2003
  • 14 Dezembro 2003
  • 21 Dezembro 2003
  • 28 Dezembro 2003
  • 04 Janeiro 2004
  • 11 Janeiro 2004
  • 18 Janeiro 2004
  • 25 Janeiro 2004
  • 01 Fevereiro 2004
  • 08 Fevereiro 2004
  • 15 Fevereiro 2004
  • 22 Fevereiro 2004
  • 29 Fevereiro 2004
  • 07 Março 2004
  • 14 Março 2004
  • 21 Março 2004
  • 28 Março 2004
  • 04 Abril 2004
  • 11 Abril 2004
  • 18 Abril 2004
  • 25 Abril 2004
  • 02 Maio 2004
  • 09 Maio 2004
  • 16 Maio 2004
  • 23 Maio 2004
  • 30 Maio 2004
  • 06 Junho 2004
  • 13 Junho 2004
  • 20 Junho 2004
  • 27 Junho 2004
  • 04 Julho 2004
  • 11 Julho 2004
  • 18 Julho 2004
  • 25 Julho 2004
  • 01 Agosto 2004
  • 08 Agosto 2004
  • 15 Agosto 2004
  • 22 Agosto 2004
  • 29 Agosto 2004
  • 05 Setembro 2004
  • 12 Setembro 2004
  • 19 Setembro 2004
  • 26 Setembro 2004
  • 03 Outubro 2004
  • 10 Outubro 2004
  • 17 Outubro 2004
  • 24 Outubro 2004
  • 31 Outubro 2004
  • 07 Novembro 2004
  • 14 Novembro 2004
  • 21 Novembro 2004
  • 28 Novembro 2004
  • 05 Dezembro 2004
  • 12 Dezembro 2004
  • 19 Dezembro 2004
  • 26 Dezembro 2004
  • 02 Janeiro 2005
  • 09 Janeiro 2005
  • 16 Janeiro 2005
  • 23 Janeiro 2005
  • 30 Janeiro 2005
  • 06 Fevereiro 2005
  • 13 Fevereiro 2005
  • 20 Fevereiro 2005
  • 27 Fevereiro 2005
  • 06 Março 2005
  • 13 Março 2005
  • 20 Março 2005
  • 27 Março 2005
  • 03 Abril 2005
  • 10 Abril 2005
  • 17 Abril 2005
  • 24 Abril 2005
  • 01 Maio 2005
  • 08 Maio 2005
  • 15 Maio 2005
  • 22 Maio 2005
  • 29 Maio 2005
  • 05 Junho 2005
  • 12 Junho 2005
  • 19 Junho 2005
  • 26 Junho 2005
  • 03 Julho 2005
  • 10 Julho 2005
  • 17 Julho 2005
  • 24 Julho 2005
  • 31 Julho 2005
  • 07 Agosto 2005
  • 14 Agosto 2005
  • 21 Agosto 2005
  • 28 Agosto 2005
  • 04 Setembro 2005
  • 11 Setembro 2005
  • 18 Setembro 2005
  • 25 Setembro 2005
  • 02 Outubro 2005
  • 09 Outubro 2005
  • 16 Outubro 2005
  • 23 Outubro 2005
  • 30 Outubro 2005
  • 06 Novembro 2005
  • 13 Novembro 2005
  • 20 Novembro 2005
  • 27 Novembro 2005
  • 04 Dezembro 2005
  • 11 Dezembro 2005
  • 18 Dezembro 2005
  • 25 Dezembro 2005
  • 01 Janeiro 2006
  • 08 Janeiro 2006
  • 15 Janeiro 2006
  • 22 Janeiro 2006
  • 29 Janeiro 2006
  • 05 Fevereiro 2006
  • 12 Fevereiro 2006
  • 19 Fevereiro 2006
  • 26 Fevereiro 2006
  • 05 Março 2006
  • 12 Março 2006
  • 19 Março 2006
  • 26 Março 2006
  • 02 Abril 2006
  • 09 Abril 2006
  • 16 Abril 2006
  • 23 Abril 2006
  • 30 Abril 2006
  • 07 Maio 2006
  • 14 Maio 2006
  • 21 Maio 2006
  • 28 Maio 2006
  • 04 Junho 2006
  • 11 Junho 2006
  • 18 Junho 2006
  • 25 Junho 2006
  • 02 Julho 2006
  • 09 Julho 2006
  • 16 Julho 2006
  • 23 Julho 2006
  • 30 Julho 2006
  • 06 Agosto 2006
  • 13 Agosto 2006
  • 20 Agosto 2006
  • 27 Agosto 2006
  • 03 Setembro 2006
  • 10 Setembro 2006
  • 17 Setembro 2006
  • 24 Setembro 2006
  • 01 Outubro 2006
  • 08 Outubro 2006
  • 15 Outubro 2006
  • 22 Outubro 2006
  • 29 Outubro 2006
  • 05 Novembro 2006
  • 12 Novembro 2006
  • 19 Novembro 2006
  • 26 Novembro 2006
  • 17 Dezembro 2006
  • 24 Dezembro 2006
  • 31 Dezembro 2006
  • 07 Janeiro 2007
  • 14 Janeiro 2007
  • 21 Janeiro 2007
  • 28 Janeiro 2007
  • 04 Fevereiro 2007
  • 11 Fevereiro 2007
  • 18 Fevereiro 2007
  • 25 Fevereiro 2007
  • 04 Março 2007
  • 11 Março 2007
  • 18 Março 2007
  • 25 Março 2007
  • 01 Abril 2007
  • 08 Abril 2007
  • 15 Abril 2007
  • 22 Abril 2007
  • 29 Abril 2007
  • 06 Maio 2007
  • 13 Maio 2007
  • 20 Maio 2007
  • 27 Maio 2007
  • 03 Junho 2007
  • 10 Junho 2007
  • 17 Junho 2007
  • 24 Junho 2007
  • 01 Julho 2007
  • 08 Julho 2007
  • 15 Julho 2007
  • 22 Julho 2007
  • 29 Julho 2007
  • 05 Agosto 2007
  • 12 Agosto 2007
  • 19 Agosto 2007
  • 26 Agosto 2007
  • 02 Setembro 2007
  • 09 Setembro 2007
  • 16 Setembro 2007
  • 23 Setembro 2007
  • 30 Setembro 2007
  • 07 Outubro 2007
  • 14 Outubro 2007
  • 21 Outubro 2007
  • 28 Outubro 2007
  • 04 Novembro 2007
  • 11 Novembro 2007
  • 18 Novembro 2007
  • 25 Novembro 2007
  • 02 Dezembro 2007
  • 09 Dezembro 2007
  • 16 Dezembro 2007
  • 23 Dezembro 2007
  • 30 Dezembro 2007
  • 06 Janeiro 2008
  • 13 Janeiro 2008
  • 20 Janeiro 2008
  • 27 Janeiro 2008
  • 03 Fevereiro 2008
  • 10 Fevereiro 2008
  • 17 Fevereiro 2008
  • 24 Fevereiro 2008
  • 02 Março 2008
  • 09 Março 2008
  • 16 Março 2008
  • 23 Março 2008
  • 30 Março 2008
  • 06 Abril 2008
  • 13 Abril 2008
  • 20 Abril 2008
  • 27 Abril 2008
  • 04 Maio 2008
  • 11 Maio 2008
  • 18 Maio 2008
  • 25 Maio 2008
  • 01 Junho 2008
  • 08 Junho 2008
  • 15 Junho 2008
  • 22 Junho 2008
  • 29 Junho 2008
  • 06 Julho 2008
  • 13 Julho 2008
  • 20 Julho 2008
  • 27 Julho 2008
  • 03 Agosto 2008
  • 10 Agosto 2008
  • 17 Agosto 2008
  • 24 Agosto 2008
  • 31 Agosto 2008
  • 07 Setembro 2008
  • 14 Setembro 2008
  • 21 Setembro 2008
  • 28 Setembro 2008
  • 05 Outubro 2008
  • 12 Outubro 2008
  • 19 Outubro 2008
  • 26 Outubro 2008
  • 02 Novembro 2008
  • 09 Novembro 2008
  • 16 Novembro 2008
  • 23 Novembro 2008
  • 30 Novembro 2008
  • 07 Dezembro 2008
  • 14 Dezembro 2008
  • 21 Dezembro 2008
  • 28 Dezembro 2008
  • 04 Janeiro 2009
  • 11 Janeiro 2009
  • 18 Janeiro 2009
  • 25 Janeiro 2009
  • 01 Fevereiro 2009
  • 08 Fevereiro 2009
  • 15 Fevereiro 2009
  • 22 Fevereiro 2009
  • 01 Março 2009
  • 08 Março 2009
  • 15 Março 2009
  • 22 Março 2009
  • 29 Março 2009
  • 05 Abril 2009
  • 12 Abril 2009
  • 19 Abril 2009
  • 26 Abril 2009
  • 03 Maio 2009
  • 10 Maio 2009
  • 17 Maio 2009
  • 24 Maio 2009
  • 31 Maio 2009
  • 07 Junho 2009
  • 14 Junho 2009
  • 21 Junho 2009
  • 28 Junho 2009
  • 05 Julho 2009
  • 12 Julho 2009
  • 19 Julho 2009
  • 26 Julho 2009
  • 02 Agosto 2009
  • 09 Agosto 2009
  • 16 Agosto 2009
  • 23 Agosto 2009
  • 30 Agosto 2009
  • 06 Setembro 2009
  • 13 Setembro 2009
  • 20 Setembro 2009
  • 27 Setembro 2009
  • 04 Outubro 2009
  • 11 Outubro 2009
  • 18 Outubro 2009
  • 25 Outubro 2009
  • 01 Novembro 2009
  • 08 Novembro 2009
  • 15 Novembro 2009
  • 22 Novembro 2009
  • 29 Novembro 2009
  • 06 Dezembro 2009
  • 13 Dezembro 2009
  • 20 Dezembro 2009
  • 27 Dezembro 2009
  • 03 Janeiro 2010
  • 10 Janeiro 2010
  • 17 Janeiro 2010
  • 31 Janeiro 2010
  • 07 Fevereiro 2010
  • 14 Fevereiro 2010
  • 21 Fevereiro 2010
  • 28 Fevereiro 2010
  • 07 Março 2010
  • 14 Março 2010
  • 21 Março 2010
  • 28 Março 2010
  • 04 Abril 2010
  • 11 Abril 2010
  • 18 Abril 2010
  • 25 Abril 2010
  • 02 Maio 2010
  • 09 Maio 2010
  • 16 Maio 2010
  • 23 Maio 2010
  • 30 Maio 2010
  • 06 Junho 2010
  • 13 Junho 2010
  • 20 Junho 2010
  • 27 Junho 2010
  • 04 Julho 2010
  • 11 Julho 2010
  • 18 Julho 2010
  • 25 Julho 2010
  • 01 Agosto 2010
  • 08 Agosto 2010
  • 15 Agosto 2010
  • 22 Agosto 2010
  • 29 Agosto 2010
  • 05 Setembro 2010
  • 12 Setembro 2010
  • 19 Setembro 2010
  • 26 Setembro 2010
  • 03 Outubro 2010
  • 10 Outubro 2010
  • 17 Outubro 2010
  • 24 Outubro 2010
  • 31 Outubro 2010
  • 07 Novembro 2010
  • 14 Novembro 2010
  • 21 Novembro 2010
  • 28 Novembro 2010
  • 05 Dezembro 2010
  • 12 Dezembro 2010
  • 19 Dezembro 2010
  • 26 Dezembro 2010
  • 02 Janeiro 2011
  • 09 Janeiro 2011
  • 16 Janeiro 2011
  • 23 Janeiro 2011
  • 30 Janeiro 2011
  • 06 Fevereiro 2011
  • 13 Fevereiro 2011
  • 20 Fevereiro 2011
  • 27 Fevereiro 2011
  • 06 Março 2011
  • 13 Março 2011
  • 20 Março 2011
  • 27 Março 2011
  • 03 Abril 2011
  • 10 Abril 2011
  • 17 Abril 2011
  • 24 Abril 2011
  • 01 Maio 2011
  • 08 Maio 2011
  • 15 Maio 2011
  • 22 Maio 2011
  • 29 Maio 2011
  • 05 Junho 2011
  • 12 Junho 2011
  • 19 Junho 2011
  • 26 Junho 2011
  • 03 Julho 2011
  • 10 Julho 2011
  • 17 Julho 2011
  • 24 Julho 2011
  • 31 Julho 2011
  • 07 Agosto 2011
  • 14 Agosto 2011
  • 21 Agosto 2011
  • 28 Agosto 2011
  • 04 Setembro 2011
  • 11 Setembro 2011
  • 18 Setembro 2011
  • 25 Setembro 2011
  • 02 Outubro 2011
  • 09 Outubro 2011
  • 16 Outubro 2011
  • 23 Outubro 2011
  • 30 Outubro 2011
  • 06 Novembro 2011
  • 13 Novembro 2011
  • 20 Novembro 2011
  • 27 Novembro 2011
  • 04 Dezembro 2011
  • 11 Dezembro 2011
  • 18 Dezembro 2011
  • 25 Dezembro 2011
  • 01 Janeiro 2012
  • 08 Janeiro 2012
  • 15 Janeiro 2012
  • 22 Janeiro 2012
  • 29 Janeiro 2012
  • 05 Fevereiro 2012
  • 12 Fevereiro 2012
  • 19 Fevereiro 2012
  • 26 Fevereiro 2012
  • 04 Março 2012
  • 11 Março 2012
  • 18 Março 2012
  • 25 Março 2012
  • 01 Abril 2012
  • 08 Abril 2012
  • 15 Abril 2012
  • 22 Abril 2012
  • 29 Abril 2012
  • 06 Maio 2012
  • 13 Maio 2012
  • 20 Maio 2012
  • 27 Maio 2012
  • 03 Junho 2012
  • 10 Junho 2012
  • 17 Junho 2012
  • 24 Junho 2012
  • 01 Julho 2012
  • 08 Julho 2012
  • 15 Julho 2012
  • 22 Julho 2012
  • 29 Julho 2012
  • 05 Agosto 2012
  • 12 Agosto 2012
  • 19 Agosto 2012
  • 26 Agosto 2012
  • 02 Setembro 2012
  • 09 Setembro 2012
  • 16 Setembro 2012
  • 23 Setembro 2012
  • 30 Setembro 2012
  • 07 Outubro 2012
  • 14 Outubro 2012
  • 21 Outubro 2012
  • 28 Outubro 2012
  • 04 Novembro 2012
  • 11 Novembro 2012
  • 18 Novembro 2012
  • 25 Novembro 2012
  • 02 Dezembro 2012
  • 09 Dezembro 2012
  • 16 Dezembro 2012
  • 23 Dezembro 2012
  • 30 Dezembro 2012
  • 06 Janeiro 2013
  • 13 Janeiro 2013
  • 20 Janeiro 2013
  • 27 Janeiro 2013
  • 03 Fevereiro 2013
  • 10 Fevereiro 2013
  • 17 Fevereiro 2013
  • 24 Fevereiro 2013
  • 03 Março 2013
  • 10 Março 2013
  • 17 Março 2013
  • 24 Março 2013
  • 31 Março 2013
  • 07 Abril 2013
  • 14 Abril 2013
  • 21 Abril 2013
  • 28 Abril 2013
  • 05 Maio 2013
  • 12 Maio 2013
  • 19 Maio 2013
  • 26 Maio 2013
  • 02 Junho 2013
  • 09 Junho 2013
  • 16 Junho 2013
  • 23 Junho 2013
  • 30 Junho 2013
  • 07 Julho 2013
  • 14 Julho 2013
  • 21 Julho 2013
  • 28 Julho 2013
  • 04 Agosto 2013
  • 11 Agosto 2013
  • 18 Agosto 2013
  • 25 Agosto 2013
  • 01 Setembro 2013
  • 08 Setembro 2013
  • 15 Setembro 2013
  • 22 Setembro 2013
  • 29 Setembro 2013
  • 06 Outubro 2013
  • 13 Outubro 2013
  • 20 Outubro 2013
  • 27 Outubro 2013
  • 03 Novembro 2013
  • 10 Novembro 2013
  • 17 Novembro 2013
  • 24 Novembro 2013
  • 01 Dezembro 2013
  • 08 Dezembro 2013
  • 15 Dezembro 2013
  • 22 Dezembro 2013
  • 29 Dezembro 2013
  • 05 Janeiro 2014
  • 12 Janeiro 2014
  • 19 Janeiro 2014
  • 26 Janeiro 2014
  • 02 Fevereiro 2014
  • 09 Fevereiro 2014
  • 16 Fevereiro 2014
  • 23 Fevereiro 2014
  • 02 Março 2014
  • 09 Março 2014
  • 16 Março 2014
  • 23 Março 2014
  • 30 Março 2014
  • 06 Abril 2014
  • 13 Abril 2014
  • 20 Abril 2014
  • 27 Abril 2014
  • 04 Maio 2014
  • 11 Maio 2014
  • 18 Maio 2014
  • 25 Maio 2014
  • 01 Junho 2014
  • 08 Junho 2014
  • 15 Junho 2014
  • 22 Junho 2014
  • 29 Junho 2014
  • 06 Julho 2014
  • 13 Julho 2014
  • 20 Julho 2014
  • 27 Julho 2014
  • 03 Agosto 2014
  • 10 Agosto 2014
  • 17 Agosto 2014
  • 24 Agosto 2014
  • 31 Agosto 2014
  • 07 Setembro 2014
  • 14 Setembro 2014
  • 21 Setembro 2014
  • 28 Setembro 2014
  • 05 Outubro 2014
  • 12 Outubro 2014
  • 19 Outubro 2014
  • 26 Outubro 2014
  • 02 Novembro 2014
  • 09 Novembro 2014
  • 16 Novembro 2014
  • 23 Novembro 2014
  • 30 Novembro 2014
  • 07 Dezembro 2014
  • 14 Dezembro 2014
  • 21 Dezembro 2014
  • 28 Dezembro 2014
  • 04 Janeiro 2015
  • 11 Janeiro 2015
  • 18 Janeiro 2015
  • 25 Janeiro 2015
  • 01 Fevereiro 2015
  • 08 Fevereiro 2015
  • 15 Fevereiro 2015
  • 22 Fevereiro 2015
  • 01 Março 2015
  • 08 Março 2015
  • 15 Março 2015
  • 22 Março 2015
  • 29 Março 2015
  • 05 Abril 2015
  • 12 Abril 2015
  • 19 Abril 2015
  • 26 Abril 2015
  • 03 Maio 2015
  • 10 Maio 2015
  • 17 Maio 2015
  • 24 Maio 2015
  • 31 Maio 2015
  • 07 Junho 2015
  • 14 Junho 2015
  • 21 Junho 2015
  • 28 Junho 2015
  • 05 Julho 2015
  • 12 Julho 2015
  • 19 Julho 2015
  • 26 Julho 2015
  • 02 Agosto 2015
  • 09 Agosto 2015
  • 16 Agosto 2015
  • 23 Agosto 2015
  • 30 Agosto 2015
  • 06 Setembro 2015
  • 13 Setembro 2015
  • 20 Setembro 2015
  • 27 Setembro 2015
  • 04 Outubro 2015
  • 11 Outubro 2015
  • 18 Outubro 2015
  • 25 Outubro 2015
  • 01 Novembro 2015
  • 08 Novembro 2015
  • 15 Novembro 2015
  • 22 Novembro 2015
  • 29 Novembro 2015
  • 06 Dezembro 2015
  • 13 Dezembro 2015
  • 20 Dezembro 2015
  • 27 Dezembro 2015
  • 03 Janeiro 2016
  • 10 Janeiro 2016
  • 17 Janeiro 2016
  • 31 Janeiro 2016
  • 07 Fevereiro 2016
  • 14 Fevereiro 2016
  • 21 Fevereiro 2016
  • 28 Fevereiro 2016
  • 06 Março 2016
  • 13 Março 2016
  • 20 Março 2016
  • 27 Março 2016
  • 03 Abril 2016
  • 10 Abril 2016
  • 17 Abril 2016
  • 24 Abril 2016
  • 01 Maio 2016
  • 08 Maio 2016
  • 15 Maio 2016
  • 22 Maio 2016
  • 29 Maio 2016
  • 05 Junho 2016
  • 12 Junho 2016
  • 19 Junho 2016
  • 26 Junho 2016
  • 03 Julho 2016
  • 10 Julho 2016
  • 17 Julho 2016
  • 24 Julho 2016
  • 31 Julho 2016
  • 07 Agosto 2016
  • 14 Agosto 2016
  • 21 Agosto 2016
  • 28 Agosto 2016
  • 04 Setembro 2016
  • 11 Setembro 2016
  • 18 Setembro 2016
  • 25 Setembro 2016
  • 02 Outubro 2016
  • 09 Outubro 2016
  • 16 Outubro 2016
  • 23 Outubro 2016
  • 30 Outubro 2016
  • 06 Novembro 2016
  • 13 Novembro 2016
  • 20 Novembro 2016
  • 27 Novembro 2016
  • 04 Dezembro 2016
  • 11 Dezembro 2016
  • 18 Dezembro 2016
  • 25 Dezembro 2016
  • 01 Janeiro 2017
  • 08 Janeiro 2017
  • 15 Janeiro 2017
  • 22 Janeiro 2017
  • 29 Janeiro 2017
  • 05 Fevereiro 2017
  • 12 Fevereiro 2017
  • 19 Fevereiro 2017
  • 26 Fevereiro 2017
  • 05 Março 2017
  • 12 Março 2017
  • 19 Março 2017
  • 26 Março 2017
  • 02 Abril 2017
  • 09 Abril 2017
  • 16 Abril 2017
  • 23 Abril 2017
  • 30 Abril 2017
  • 07 Maio 2017
  • 14 Maio 2017
  • 21 Maio 2017
  • 28 Maio 2017
  • 04 Junho 2017
  • 11 Junho 2017
  • 18 Junho 2017
  • 25 Junho 2017

  • Somos todos bonzinhos

    E muito coerentes.
    Caramba! Mas que coerência é que há na sobrevivência?
    O homem, o animal, e os estados que criou regem-se pelo único critério possível: a sobrevivência.
    Bonzinhos? Somos todos bonzinhos e muito coerentes.
    Alguns não sobreviveram. É tudo uma questão de energia. Não é isso a lei do mais forte?
    Alguma novidade à face da terra?



    Onze dias para passar de nível




    Só me lembro disto

    O Espírito de Natal

    Por mais voltas que dê, não encontro o Espírito.
    Todos os temos, julgo eu, enquanto crianças. Mesmo que seja humana a proveniência dos presentes.
    Mas depois desse período, passou-me. Acho que de vez.
    De cada vez que observo a cavalgada das compras a toque de caixa, mais se acrescenta o tédio.
    Será por não haver crianças por perto? É possível.
    O certo é que o espírito passa ao largo e não há rena que me dê coice.
    Não me interessam presentes, nem dá-los nem recebê-los.
    Gosto de dar uma prenda sem que haja uma data imposta para o fazer.
    Não me importo nada de as receber de surpresa.
    Mas de Natal, já só me resta a memória do T.P.F..
    Sejam felizes.




    Direita e esquerda

    Alguns autores afirmam que para algumas populações esquimós estes conceitos não existem.
    Não faço a menor ideia se isso é extensivo a outros grupos humanos ou não.
    Mas sei que, no sítio de onde venho, eram conceitos de utilidade muito acessória.
    Muito poucas vezes se referiam as coisas na topologia doméstica ou rústica usando tais noções.
    Usava-se recorrentemente o: ao pé de; por detrás de; à frente de; diante de; lado de cá; lado de lá; debaixo de; em cima de; para ao lado de. Todos referidos a lugares bem determinados quer no exterior, quer no interior das casas.
    Também não faço a menor ideia de quais as razões que sustentam essa ausência nem sequer se tais características se repetem em zonas mais ou menos vizinhas.
    Curiosamente, ao vir-me isto hoje à cabeça, também não encontrei nada sobre o assunto no mundo dos motores de busca. Apenas exercícios para ensinar os dois conceitos às crianças.





    Gaba-te, cesto - mais vale umas botas

    Então não aprendi nada com as mulheres?
    Aprendi, pois claro.
    Sei o que é fazer pendant, parure ou toilette e muitas outras coisas que não são para aqui chamadas.
    Certa vez, discuti até o classicismo no vestuário, à varanda de uma casa em obras, enquanto os pedreiros não chegavam.
    Fui então rotulado de classicista trangressor, o que era muito interessante, na opinião dela. Talvez por usar botas caneleiras com fato e gravata.
    Cá para mim, não fosse eu um mocinho jeitoso nessa época, haveria de servir de muito um par de botas.



    Mas ainda não sei o que é um traje clássico.

    imagem adaptada de http://www.cm-arraiolos.pt/artesanato/artesanato.htm



    Tíbia 7.11

    Devo aos pára-quedistas um sem-número de dicas.
    Fiquei a saber que se joga Tíbia e que há qualquer coisa de complicado com o Minotauro.
    Que há uns jogos de carros ena ig sobre os quais o único sítio do mundo onde se pode encontrar informação é aqui, no H G U, segundo o MSN Brasil.
    Que há um sítio estranho, chamado cave do totoloto, de onde aparentemente saem as chaves todas as semanas.
    Que há uns calendários que são tios de alguém. Deve ser alguma família lá das minhas bandas, onde já existe o Pouco Tempo.
    Mas há também quem procure coisas como nas páginas amarelas.
    Da Holanda (vejam este post), chegou o pedido de informação sobre o endereço postal da garagem (?) Ford de Setúbal. Lamento, talvez a Ford Portugal tenha essa informação on-line.
    E há quem queira saber da geometria no presépio.
    E claro, continuam os pedidos para adivinhar as chaves dos habituais concursos da Santa Casa. É estranho que ninguém peça o número da lotaria do Natal.
    Pedem-me ainda mapas. É escusado, não dou informações de trânsito. O trabalhão que me dá evitar as filas em época festiva. Nem pensar.
    Houve até alguém que pensou que era eu o detentor do segredo do molho 365, o das bifanas. Francamente.
    Não bata a cabeça à toa - acham que isto é pesquisa que se faça? Sem aspas?
    Também um dos dois únicos sítios do mundo onde há referência a uma máquina de rolhar é aqui. Está certo. Mas de que informação precisa?
    Em relação ao Sado, já percebi há muito que algumas pesquisas que aqui caem não se referem aos barrancos de onde procede, é qualquer coisa a respeito de um marquês. Paciência!
    Já agora, porque é que não usam as aspas? Não é assim tão difícil encontrar o que se procura.
    Fico com a impressão de que 99% das demandas são feitas por quem não tem a menor noção do que está a fazer, será assim?





    Gasolim ao Km 198,4




    Paris

    A maior parte das vezes que qualquer de nós se encontra em meio desconhecido, o que é que sucede?
    Ou temos connosco o micro-cosmos suficiente para fecharmos um universo próprio, independentemente de estarmos sòzinhos ou não, ou ficamos na defensiva a ver em que é que param as modas.
    O que é invulgar e insólito é que, no mesmo lugar, se reúnam ao mesmo tempo, várias pessoas nas mesmas circunstâncias de alheamento ao local e às restantes, como que de um albergue nocturno se tratasse.
    E que esse facto seja simultâneamente verificado por todos, dando lugar a uma aproximação estranha mas leal, como a que aparentemente temos sempre com o desconhecido não-invasor.
    Foi de um ambiente desses, cada vez mais raro, que falámos há pouco. Não se trata de antecâmaras de aeroporto, de enfermarias de hospital de campanha, de carros parqueados em filas paralelas num grande engarrafamento, trata-se de Paris.
    Da cidade das luzes ou da cidade-luz. Bizarrias.



    imagem escandalosamente roubada aqui



    Gasolim e a ferrovia




    A cadelinha plebeia

    Estava prometida há anos, a cadelinha que os meus amigos nos deram há um ano e tal.
    É filha de pais inscritos no Livro de Origens Português (LOP), logo poderia igualmente ter a sua inscrição no dito livro.
    Sucede que, para tal e ao que me disseram, torna-se agora necessário submeter os animais a uma de duas intervenções: ou são tatuados ou se lhes insere um micro-chip.
    Mais estranho: estando os pais já registados, para inscrever a ninhada era necessário fazer o mesmo aos pais, embora o regulamento não estivesse em vigor à data em que aqueles nasceram, tendo assim sido registados sem que nada disso fosse necessário.
    Ninguém quis fazer isso aos cães, nem os donos dos progenitores nem os promitentes curadores dos elementos da ninhada. Logo, temos uma cambada de plebeus filhos de pais incógnitos, como era uso com os humanos nascidos em circunstâncias reprovadas, de pais fidalgos.
    Só umas questões me atormentam o espírito:
    Qual é o objectivo destas normas?
    Se uma tatuagem é quase impossível de apagar, não é de todo impraticável viciá-la.
    Um micro-chip é obviamente fácil de remover e recolocar.
    E o que é que vale quando se registam cães, não é a palavra do dono?
    Fazem-se alguns testes para confirmar a progenitura?
    É certo que isto são banalidades, mas devem ter algum interesse para quem ganha dinheiro com estas coisas.
    E sim, a cadela é um espectáculo. Mas o cão também é e desse não se sabe mesmo quem é o pai, nem sequer que tipo de cão era. Sabe-se que a mãe era boxer e que ele tem apenas vagas parecenças com a raça. E o que é que isso interessa?



    Já chega, amigos pára-quedistas




    Por acaso

    Por acaso num filme
    Por acaso numa captura
    Por acaso aqui
    Rios e pontes, sempre



    Não é sempre por acaso?



    Valsas putrefactas em cima de uma mesa de pedra, lá no quintal

    Ora evoluíam pelo roseiral bravio,
    Ora se reorganizavam sob o zimbório que rematava o fundo do jardim.
    Tudo isto numa intenção clara de apaziguar a primavera acendida
    Sob o deleite que a alcoolemia lhes proporcionava no verde.
    Mesmo que à porta lateral do pavilhão onde repousava o esquife
    Chegassem acordes de música
    Aos ouvidos dos correligionários enlutados
    Que teciam pálidos encómios ao defunto
    E exercitavam apetecidos conceitos de infelicidade.

    1985

    SG, "Dizeres do Sul", 1993



    Os rótulos de Garcia Marquez



    Serve para escorregar



    Quase parece a sério




    Quase faz sentido




    Hat-trick



    Houve um tempo em que seguíamos também a tabuada dos golos.
    1-0, 0-1, 1-1, por aí fora.
    Como na bola, estes eram os resultados habituais. Os empates a zero eram também numerosos, havia uma infinidade de penalties desperdiçados por falta de concentração.
    Mas, volta e meia, uma goleada.
    Na nossa estranha contabilidade, só se conseguia construir um resultado volumoso quando a equipa era grande.
    Dessa vez, se a memória me não atraiçoa, éramos quatro.
    E elas eram umas oito.
    Foi má leitura de jogo por parte do treinador.
    O certo é que já estávamos em campo e não havia tempo para recrutar novos reforços. Fomos à luta.
    Depois de algumas jogadas individuais, já o automatismo da equipa adversária estava percebido, encontro o M.C. no bar.
    "E atão? Como é que é?" - disparou ele.
    "Como é que é? É assim: A mais interessante para mim é a que se atracou ao S. A que eu gostava de marcar é aquela magrinha, dos olhos grandes. Mas a que está a descair para o meu lado é a matulona do cabelo preto. Lá da RDMNA. Vou então ver o que é que dá a magrinha, se não der, a minha escolha é a matulona."
    "Porra, queres tudo para ti. Logo três!"
    "Não, M." - eu a ver que ele queria a matulona - "Podes ficar com as outras, eu fico com a que caiu cá para o meu lado. Não há crise, podes escolher a magrinha."
    "Porra, queres logo as três."
    "Não, homem, só quero a matulona, não quero nenhum hat-trick."
    Ele lá se foi, a matulona caiu mesmo para o meu lado. O P.P. já tinha a dele certa. O S. a mais bonita. E o M.C. ficou com uma que agora me não lembro. O certo é que foram elas que escolheram. As outras quatro, entre as quais a magrinha, recolheram aos balneários. Não houve hat-trick para ninguém. Elas ganharam 0-4. Ah, esquecia-me! Hat-trick são três, toda a gente que lê jornais desportivos sabe disso.

    coelhinho em



    Presente de Natal

    Para o selo do carro ou para outra coisa qualquer




    Gasolim e a estrada



    Já aqui disse que não compreendia o argumento segundo o qual as pessoas se transfiguram ao volante, fazendo as maiores atrocidades.
    Basta estar atento em todo o lado, por alguns momentos, para nos apercebermos de que os mesmos comportamentos bizarros se verificam também fora das caixas de lata.
    A questão é que as caixas de lata derivam em caixões. E em mísseis mal guiados.
    Fossem os telemóveis, os chapéus de chuva, os carrinhos de supermercado, as cadeiras de restaurante, as senhas de vez, armas letais e então ver-se-ia.
    Não sou exemplo para ninguém. Não venho dar lições nenhumas.
    Mas se há ou não um mal generalizado nas nossas estradas, é bom que se estude o assunto de forma racional.
    Começando por perceber o que é que se passa.
    Uma das coisas que conhecemos mal são as efectivas causas dos acidentes.
    Primeiro, porque os próprios intervenientes quando sobrevivem, não sabem ou não querem perceber as causas.
    Segundo, porque os elementos que as autoridades apuram são manifestamente insuficientes. Estas limitam-se a enquadrar numa tabela incompleta mais ou menos o que lhes parece.
    Terceiro, porque há uma espécie de véu sobre as coisas, que permite que se construam mal as estradas, que as sinalizem mal e que se passem licenças de condução a qualquer um.
    Não vou abordar aqui aquilo de que outros estão fartos de falar.
    Apenas recordo e chamo a atenção para aspectos de que se têm esquecido.
    Há anos, havia na rádio um programa interessante sobre a estrada. Nesse programa, ouvi com o mesmo pasmo do apresentador, um ministro dizer que agora é que se iam acabar com os acidentes! Era de calcular que fôssemos longe com tão ridículas sentenças.
    Basta apreciar o relatório da sinistralidade da DGV para perceber várias coisas:

    Existe um sem-número de dados estatísticos não relevantes.
    Existe uma tabela de causas mal elaborada.
    Algumas tabelas relevantes deviam ser ponderadas proporcionalmente (ex: nº de acidentes por idade de veículo, por idade de condutor, por anos de carta)

    Percebe-se que não é o álcool que causa agora os acidentes (isto não tem nada a ver com a justeza da penalização!), mas ajuda saber que para combater a sinistralidade é preciso virar a atenção para outros lados e não bater sempre na mesma tecla.
    E que a confusão entre excesso de velocidade e velocidade excessiva também não ajuda.
    Uma coisa é exceder os limites impostos, outra completamente diferente é não ter noção nenhuma de qual a velocidade adequada em determinadas circunstâncias (as atmosféricas, o carro, a estrada, a capacidade do condutor).
    Já vi pessoas despistarem-se e quase morrerem a 20 Km/h! É que não convém confundir os pedais de travão e de acelerador num gancho sobre um precipício.
    Lá vem mais uma época de funerais.

    Pai Natal em



    Gasolim en garde




    Gasolim a ver passar os outros

    Não é só na Finlândia que as câmaras captam imagens interessantes.
    Esta é nossa.



    câmaras do IEP aqui



    Escantilhões e impressoras



    Não é nada que eu não tivesse previsto.
    Quando um professor dizia que, com a chegada do CAD, se iria perder toda a marca pessoal no desenho técnico, as perspectivas aguareladas, os cortes chinesamente pormenorizados, até as borras de café e as queimadelas de morrão, já eu tinha outros temores.
    E os simples processadores de texto, com as suas potencialidades?
    O que fariam aos letreiros das tabernas com letras invertidas?
    E aos dos vendesse melões?
    E a todos os outros, em cartão rasgado, em papel pardo, em madeira de caixa de fruta, em lata, sobre um muro?
    Aqui Há isco? Uvas a 500M? Vinho a granel? Sandes diverças? Há Queijo cabreiro?
    Sejamos optimistas. Não se vão todos.
    Em primeiro lugar, apesar de até eu ter acesso a um computador, ainda há muita gente que foge deles como o diabo da cruz. E nem toda a gente tem a sorte de ter ao pé da porta o tal tipo que tem a filha com jeito pó desenho.
    Os que usam a impressora agora, são os mesmos que usavam o escantilhão verde e preenchiam todo o espaço aberto, são os que compravam letras auto-colantes ou decalcáveis.
    Em segundo lugar, não se compram plotters de grandes dimensões para compôr cartazes numa parede cega “Servem-se grelhados”. A coisa reduz-se ao A4. E o A4 não aguenta com tudo.
    Em terceiro lugar, há os porque não. Não é que não tenham acesso a um computador ou que não sejam capazes de fazer seja o que fôr com ele. É porque não.
    Mas digo adeus às letras invertidas no pequeno formato. O trabalhão que dá arranjar e instalar um alfabeto cirílico para obter os NN e os RR? E os SS, então? Era preciso editar os caracteres.
    Mas há em contrapartida essa inesperada mais-valia do processador de texto, a letra em acordeão, a letra perspectivada, a letra em curva, uma panóplia de estilos e de cores.
    Mas nada, nada bate o pequeno aviso da ARESP, ou não dissesse ele que é vedado o acesso a quem penetrar nas zonas de acesso vedado.
    Não acredita? Veja em qualquer café aí para os seus lados. É um aviso azul.



    As barbas de molho

    Ora aqui estamos, no meio do frenesim habitual das últimas notícias.
    E basta fazer um zapping à balda para nos regalarmos com uma quantidade substancial de anedotas. Em todas as línguas, nos mais diversos canais.
    Há uma que hoje bate as outras:
    Que eu saiba, começou nas televisões americanas e já se ouviu em português.
    Trata-se do escanhoamento do homem.
    A crer no que foi dito na imprensa, teria sido necessário fazer a barba ao preso para o identificar.
    Se isto não é uma anedota, se é a sério, arre macho.
    O pior é se Ibn Laden resolve rapar a cara. Vão ser necessários uns meses de barba a crescer para o identificar. Estou a brincar, a esta hora já os serviços secretos encomendaram a um perito uma barba postiça igual à das fotografias.



    Barac Bac Bac

    O blogue dos porcos está a dar as últimas. Também ninguém vai lá.



    Gasolim a ver passar os outros



    É por estas e por outras que não me canso de referir este sítio



    Das duas, três

    Ou a estranha impossibilidade de alguns lerem o português, embora seja uma das dez línguas mais faladas no mundo. E seguramente entendível, na forma escrita, pela hispanidade.
    Ou a tentativa de me afundarem sob o peso de milhões e milhões de dólares.
    Ou, de facto, tenho cara e e-mail de labrego.
    Não sei a qual das hipóteses se deve, mas lá recebi mais um aviso prometedor. Desta feita são 2.000.000 USD.
    A juntar aos 5,45 e ao 0,5 das anteriores, o bolo já vai em 7,95 megas.
    Não faço a menor ideia de quantos mais terão este Natal sido contemplados com tantos Los Gordos, mas com três sorteios a meu favor, já quase igualo o recorde que detenho na barraca das panelas, onde consecutivamente, e para gaúdio dos soldados que me cortejavam a criada, arrematei lá para casa um novo trem de cozinha.
    Das duas vezes anteriores, publiquei aqui o mail ganhador e das duas vezes aqui vieram espreitar ou camaradas meus ou os próprios benfeitores, na esperança de entreverem na minha face uma plácida lágrima de contentamento.
    Não lhes goro a pesquisa. Sejam benvindos.

    "HEAD OFFICE
    EURO-AFRO SWEEPSTAKE LOTTERY NL.

    BURDENSTREET 21B
    1053 DS AMSTERDAM, THE NERTHERLANDS.

    FROM: THE DESK OF THE MANAGING DIRECTOR
    INTERNATIONAL PROMOTION PRIZE AWARD DEPT.

    REF: HWS/2001130802
    BATCH: 18/203/JJS.
    DATE: 04/0

    /2003

    Attention:Sir,Madam

    WINNING NOTIFICATION.


    We are pleased to inform you about the release today the 10th of
    december 2003 of the ERO-AFRO SWEEPSTAKE LOTTERY INTERNATIONAL
    PROGRAMMS held on the 28th june 2003, Your company name atta
    he

    toticket number: 564 ?75600545 ? 188 with serial number 5388/02
    drew the lucky numbers:3-11-27-30-34 41, which consequently won the lottery
    inthe 2ndcategory. You have therefore bee
    approve or a lump sum pay out of UD$2MILLION in cash credited
    to file HWS/200118308/02.This
    is from a total cash prize of US$20MILLION share! among the ten international
    lucky winners in this category. Furth
    rmore, your lucky winning number alls within our NORTH AMERICAN booklet
    representative office in CANADA indicated in your play coupon. In view of
    this, your US$2,000,000.00 (Two million US Dollars) would be released to
    you by our COMPANY regional
    branch office in CANADA ,CONGRATULATION.Take no that 20 million email addresser
    was drawn out from
    net and many people won both in the first and second
    and third category. Your fund has been therefore deposited with the CANADIAN
    COMPANY in your name from where it would be released to your nominated
    bank account. Due to the mixed up of some numbers an names, we ask that
    you keep this a top secrect from the public notice until your claim has
    been processed and your money remitted to your account
    as this is part of security protocols to avoid double claiming or unwarranted
    taking advantage of his programs by participats. To begin your claim,you
    should first acknowledge
    receipt of this notification through the above emailaddress Endevour to
    include your full recent contact address,telephone/fax numbers and your
    bank account details were you want this fund to be remitted to you As soon
    as you confirm receipt of this notification, you shall be advised/directedon
    how to contact the CANADIAN COMPANY for processing and remittance of your
    funds to your nominated bank account. Remmbe ,Al winnings must be claim
    not later than 31st of december 2003. and after this date all be returned
    as unclaimed. NOTE: In order to avoid unnecessary delays and complications,
    please remember to quote your reference and batch numbers
    every correspondnce. Furthermore , should there be any change of your address,
    do inform us as soon as possible. Congratulations again from all members
    of the staff and thank you being part of our promotional program.
    Sincerely yours,
    DrEdward
    Thompson
    "

    O e-mail de contacto é ethompsonall@tiscali.co.uk

    P.S. A moeda desta vez não é U.S.Dollars Only. Aproveito para dizer aos organizadores destas notáveis quermesses que, em português, é mais bonito dizer que o prémio é logo de 2.000.000 de dólares, em vez de 2.000.000 de dólares . Isso cheira a falsa modéstia e a novo-riquismo.
    P.P.S. Adorarei ler a tradução instantânea disto tudo, mais uma vez. É talvez por isso que eles também insistem.



    A porta do largo

    O blogue não é suficiente. Aliás, o blogue não é o local adequado.
    Sendo um blogue quase anónimo, não posso reagir aqui aos acontecimentos.
    Tenho assim um grave problema para resolver.
    Quando tinha a porta do largo, aberta ao centro da vila, bastava-me encomendar um púlpito de madeira de castanho a um bom marceneiro e colocá-lo depois ao lado da cabina telefónica.
    Assim, de peito aberto, e devidamente identificado pelos presentes, por ser pessoa da sua lidação, poderia livremente exprimir os meus pontos de vista sobre o que se está a passar.
    Teria, obviamente, que me aconselhar com este e com aquele sobre quais os assuntos que mereceriam a minha reacção a tempo.
    Mas assim, estou de mãos atadas.
    Já não disponho da porta do largo.
    A varanda do monte só dá para o montado. Não há ali vizinhos interessados em ouvir as minhas doutas sentenças. O cais das traseiras é avistável da estrada, mas a estrada é particular (a Câmara nunca me deu um chavo por a ter alcatroado e chamado sua – sou muito mal agradecido, não sou?)
    Resta-me virar para o outro lado e continuar a acompanhar a situação.



    A má qualidade da imagem é propositada



    Falta uma foto



    É verdade! Falta aqui uma foto.
    Segundo um dos meus primos, deve ser tirada à porta do monte, a cavalo e de cajado na mão, com a família ao lado, alinhada segundo o protocolo.
    Em plano anterior, os cães. Se possível uma galinha peada por um baraço mas nenhum gato.
    Talvez um garrafão displicentemente colocado a um canto, também ele amarrado.
    Não sei. Talvez a tire. Também não sei a quem é que hei-de pedir o cavalo emprestado. É melhor não.
    Tudo apeado.
    Eu depois dou vaia ou coloco-a aqui.

    imagem de